Baratonta – Blog de Humor, Conteúdo Adulto e Curiosidades! | Page 2
adm
11 de abril de 2019

Baixinha com 1,56 de altura sempre sofreu bullying quando criança . Atualmente ela adora a sua altura, mas demorou muito para perceber isso.

Cabe em qualquer lugar, nunca fica apertada em um carro ou algo do tipo, sempre tem espaço para a cabeça e para as pernas, ocupa menos espaço.

A mulher mais baixa do mundo nasceu em 26 de fevereiro de 1876 nos Países Baixos, mais precisamente em Ossendrecht. Seu nome era Pauline Musters e no dia em que nasceu, já media apenas 30 cm enquanto um bebê recém-nascido deve medir a média de 48 cm. Apesar de poder ter sido apenas um bebê com tamanho semelhante ao de um prematuro, os anos que se passaram já alertavam sobre o recorde que iria bater mais a frente.

Vejam mais Curiosidades como essa aqui.

fonte: tricurioso
Baratão
3 de abril de 2019

Que a maior parte dos videos porno são feitos mais para o público masculino, isso já sabemos. Mas que impacto isso pode ter na vida das pessoas?

Mulheres de corpos perfeitos. Elas apresentam maquiagem impecável, uma performance incansável, posições de contorcionista, e ainda fazem coisas que você se pergunta como aquilo é possível. Mas o que você talvez não saiba, é que uma série de cortes são feitos. Edições e mais edições. A câmera posicionada no ângulo perfeito também faz toda a diferença. São milhares de detalhes e uma grande produção por trás de tudo que você vê depois de pronto.

videos porno

Os homens. Geralmente o foco está apenas no pênis deles. É como se o pornô girasse em torno deste membro masculino. Eles quase não aparecem em cena, só o pau. A visão mais privilegiada é do corpo da mulher. E tudo o que é feito em cena também. Porque o público alvo, é masculino. Então os filmes são feitos pensando apenas nisso.


Essa nova proposta de filmes pornô com uma pauta mais feminista, aborda evitar um pouco tudo isso descrito acima. Para tornar a pornografia agradável tanto para homens quanto para mulheres. E não só isso. Para que também haja uma visão mais natural do sexo. E não apenas algo que seja voltado apenas para os homens. Visa também eliminar estereótipos misóginos de tais produções. Onde a mulher é vista apenas como um objeto, criado para o bel prazer masculino.


Algumas cineastas como a diretora americana Jennifer Lyon Bell, formada em Harvard há 49 anos (fundadora da companhia “Blue Artichoke Films”) buscam trazer para o público em geral uma pornografia que apresente um sexo mais realista.


O Swedish Film Institute foi pioneiro com uma série de 12 curtas-metragens feitos por feministas e produzidos por Mia Engberg dez anos atrás. Na Alemanha, os social-democratas de Berlim, que cogovernam a cidade, chegaram a propor que essas produções servissem de apoio educacional aos jovens.

Ainda tem mais posts de hoje, passe de página...